Para oferecer uma melhor experiência, este site utiliza COOKIES

A Sysmatch utiliza COOKIES. Uma 'cookie' é um fragmento de informação que o browser armazena no disco do seu computador. Sempre que aceder ao nosso WEBSITE, o nosso servidor reconhecerá a 'cookie' e irá proporcionar-nos informação sobre a sua última visita, permitindo-nos prestar um melhor serviço. A maioria dos browsers aceitam a utilização de 'cookies' de forma automática. É possível, porém, modificar a sua configuração para que não aconteça. Veja em detalhe a nossa Política de Cookies.

/ Como construir um Plano de Gestão de Crise

Como implementar um plano de gestão de crise nas organizações

Um plano de Gestão de Crise é um documento que enumera os processos que uma Organização deverá recorrer para responder a uma situação crítica que a possa afetar, sendo o principal objetivo mitigar ou se possível, evitar danos.

O que é uma crise numa organização?

Uma crise é um evento negativo e difícil que atinge uma Organização e que exige uma tomada de decisão rápida de forma a limitar os danos que provoca. As suas causas podem ter inúmeras fontes:

  • Problemas com a segurança e integridade dos produtos ou serviços
  • Acidentes técnicos, fugas de informação
  • Falhas de cibersegurança
  • Campanhas negativas nos meios de comunicação
  • Surto (ex: COVID-19), outras calamidades ou desastres naturais
  • Entre outras

Estas situações podem criar vulnerabilidades numa Organização e afetar também a sua reputação, sendo por isso altamente recomendável que exista um planeamento previamente definido para um Plano de Gestão de Crise.

A capacidade de resposta, a experiência e a equipa envolvida são determinantes e essenciais para o desenvolvimento de uma estratégia para acompanhar a situação, analisar e definir ações para o pós-crise.

ANTES DA CRISE

De forma proactiva deverá ser feita a preparação de eventuais situações de ameaça. O primeiro passo será reunir a equipa de Gestão para sessões intensivas de brainstorming, de forma a que se possam discutir todas as potenciais crises que podem ocorrer na Organização. Desta forma será possível identificar possíveis situações, definir estratégias, metas, ações a implementar entre outros aspetos para a promover a normalidade da Organização. Só assim se conseguirá garantir um correto fluxo de informação, avaliação de resultados e cumprimento dos objetivos definidos.

Deve ser definido um nível de criticidade da crise, para tal é analisada qual a probabilidade versus o impacto, estando assim a Organização em condições de estabelecer ações que permitam:

  • Evitar que a crise aconteça (quando possível)
  • Agir em conformidade, caso não seja possível evitar a crise

Estas ações vão mitigar o impacto de uma crise numa Organização.

DURANTE A CRISE

Existem crises que não podem ser evitadas e, quando surgem, deve ser de imediato aplicado o Plano de Gestão de Crise anteriormente definido. Realizar comunicações frequentes internas e externas, para que colaboradores, fornecedores e clientes sintam confiança, credibilidade e segurança na Organização.

DEPOIS DA CRISE

Depois da superação de uma crise organizacional, deve haver uma análise mais profunda acerca dos acontecimentos e incorporar na gestão e na monitorização, um balanço dos pontos fortes e fracos, adaptando e modificando os planos estratégicos. A monitorização por parte da Organização e dos resultados dos seus KPIs, vai objetivamente permitir uma efetiva avaliação do real impacto da crise.

Uma visão macro que identifique antecipadamente as oportunidades e as ameaças que a organização pode enfrentar, vai consequentemente contribuir para uma atitude preventiva que, simplificará certamente toda a gestão de uma crise.

Por este motivo, atualmente, um Plano de Gestão de Crise é fundamental para qualquer Organização – sejam pequenas, médias ou grandes empresas, governos ou ONGs.

Pretende criar a melhor estratégia para lidar com eventuais situações de crise? Contacte a nossa Equipa de Qualidade para mais informações: qualidade@sysmatch.com

  Contactos